Domingo, 20 de Dezembro de 2009

1. 11. Elementos Decorativos

 

Os elementos decorativos, concebidos quase sempre em granito, são primaciais para o jogo da composição das fachadas e são indicadores exteriores de equilíbrio, de ordem e de dignidade, dado que “estes elementos ornamentais têm, vezes sem conta, na determinação compositiva das fachadas, onde podem tornar-se tão importantes ou mais importantes do que os componentes estruturados.630 Aparecem colocados em pontos-chave da fachada da casa: frontão, capela e escadaria; e também surgem espalhados pela fachada e torre.

Da análise das casas nobres verificou-se o uso frequente de ornatos: acrotérios/cordas/bolas/conchas/pingentes/pinhas/cruzes/flores/florão/frisos em losamgos, quadrifólio, hexafólio, polifólio, carranca/urnas/fechadas/abertas/figuras de convite/ volutas/esfera armilar/merlão/folhas de acanto.

Há elementos que se encontram no coroamento das pilastras, engrandecem o conjunto edificado e auxiliam a delinear linhas de força “acentuando ritmos e direcções significativas:631 pináculos, pirâmides, urnas fechadas ou abertas e figuras de convite. As formas sinuosas, onduladas, e dilatadas das bolas, dos fogaréus e das pinhas contrastam com as formas geométicas das pirâmides. Assim, enquanto uns elementos destacam as formas naturalistas, outros tentam imprimir relevo às linhas verticais, conferindo imponência à casa.Também na base das pilastras aparecem volutas a decorá-las, de que é exemplo a Casa da Bouça. As volutas podem ainda ornar os pedestais das cruzes, como é visível na capela da casa do Ribeiro.

Os vãos apresentam, normalmente, moldura com lintel curvilíneo, excepção para a casa de Juste, com portada de lintel bilobado de arco crescente, na fachada Oeste e janela a Norte de lintel também bilobado. Ainda nesta casa, duas portas mostram incisões geométricas no lintel, tal como as colunas do alpendre exibem incisões medievais. Na parte terminal das escadarias surgem, por vezes, volutas, pináculos, fogaréus ou vasos, como podemos encontrar nas casas da Argonça, Renda, Bouça, Outeiro e Valteiro. Na face deste elemento arquitectónico também é usual aparecer expressão ornamental, como se nos depara em Valteiro.

Existem também exemplos de esculturas nas casas, como em Argonça - quatro esculturas de granito, de vulto redondo, representando as estações do ano; no muro do portal que antecede o do terreiro, em Pereiró e Outeiro, integradas em edículas, estando a segunda enquadrada por uma concha. Na casa da Bouça encontram-se estatuetas no jardim.

Da mesma forma, deparámos com painéis de azulejos. Mesmo que estes sejam persistentemente identificativos, casos há em que igualmente cumprem funções decorativas. Por exemplo, na casa de Valmesio, na freguesia de Nevogilde, vêem-se três painéis de azulejos que granjeiam interesse e despertam curiosidade, da autoria da de dois anteriores proprietários. Estão emoldurados por cercaduras policromas. Além da sua importância decorativa, estes painéis exprimem o amor ao rio que deu o nome ao Vale e à casa onde residiam. A fachada Sul da casa Lama mostra um azulejo representando St.ª Ana com o Menino e Nossa Senhora, ao colo, encontrando-se datado: MDCCCLXXXI; e no alpendre, situado a Oeste, vê-se um painel de azulejos, retratando o edifício. No alpendre da casa da Bouça, observa-se um lambril de azulejos monocromáticos, em azul-cobalto e representação figurativa, executados em painéis de grandes dimensões, em tons azuis e brancos. E a casa do Valteiro exibe na coluna direita do portal, um azulejo azul e branco, e no alpendre, da fachada Este, há ainda um grande painel de azulejo, de tons azuis e brancos, retratando uma cena de caça. Por último, na casa da Tapada pode apreciar-se um painel de azulejo, da autoria do poeta A. Correia de Oliveira que exorta à faina no campo, sendo que a capela apresenta um vitral de contorno mais cuidado.

Achamos por bem incluir ainda como elemento decorativo o trabalho que se vê nos portões das casas nobres, por exemplo, os enrolamentos da sobreporta, com que tropeçamos nas casas de Porto, Ronfe e Vila Verde.

 

 

 

 



publicado por José Carlos Silva às 15:00 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Despedidas

Eleição e abdicação

Cruzeiros de S. Miguel

Memória Paroquial de Vila...

Caminhada à descoberta do...

Lousada e os seus cruzeir...

Capela de S. Cristóvão (S...

Capela de N. Srª de Apare...

Capelas Públicas de Lousa...

Bibliografia

arquivos

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

1791

1895

abdicação

alentém

auto de patrimonio

auto_de_património

caíde

camara

caminhada

caminho-_de_ferro

capela da casa de valmesio

capela de cam

capela de valmesio

capelas

capelas_públicas

capela_cam

capela_da_lama

capela_de_s. cristóvão

capela_de_stº andré

capela_srª_aparecida

capitão_mor

carta

casa

casa de real

casa-do_porto

casa_cáscere

casa_da_bouça

casa_da_lama

cazla_do_cáscere

comarca

consulta

contrato de obra

cristelos

cruzeiros

cruzeiros de covas

cruzeiros_de-casais

cruzeiros_de_cernadelo

cruzeiros_de_cristelos

cruzeiros_de_figueiras

cruzeiros_de_lodares

cruzeiros_de_stª_margarida

cruzeiro_de_pereiras

d. pinho brandão

deputado

despedidas

dia_internacional_monumentos_sítios

doação_para_património

doação_para_patrimonio

dote

eleição

escritura_legado

jose teixeira da mota

lindo

lodares

lousada

lúcia_rosa

meinedo

memória_paroquial

moinho

moinhos

nespereira

nevogilde

nogueira

nome

novelas

ordem

paroquial

patrimonio

património

património_rural-paisagístico

penafiel

plano_de_ seminário

ponte_nova

prazo

preservar

princípio_de_instituição

processo

quaresma

quintã

restauro

rota_do_românico

s. miguel

santa ana

secretario

sermões

soares_de_moura

sousela

tapada

vale_do_sousa

vilar-do_torno

vinculo

todas as tags

links

visitante
subscrever feeds