Domingo, 20 de Dezembro de 2009

 

Num primeiro momento, constatámos que o concelho de Lousada durante o século XVIII e XIX oscilou quanto ao número de freguesias, e que os corografistas, monografistas e os próprios abades que responderam aos Inquéritos das Memórias Paroquiais de 1758, nunca se entenderam ou foram unânimes quanto às freguesias Sede do Concelho. E através das Memórias Paroquiais, e de outros documentos, foi possível reconstituir, na medida do possível, as paisagens física e edificada do concelho de Lousada no século XVIII.

Ficámos a saber que Lousada se fez pela política e pela política se desenvolveu, tendo figuras como o Conde de Alentém, o Visconde de Lousada, de Sousela ou Manuel de Souza Freire, determinantes para tal desígnio. Mas também era uma terra que se deleitava em folguedos, de que eram expoente máximo os bailes da Assembleia Lousadense. Local de encontro da elite de então, dos políticos, enfim das encruzilhadas deste concelho a nível social, económico e político.

Num segundo momento, verificámos que as casas edificadas na área do rio Sousa são semelhantes àquelas que foram construídas na área do Rio Mesio. Os rios Sousa e Mesio e seus vales férteis ditaram a fixação e, mais ainda, a durabilidade do espaço, da vivência destas casas. De grandes casas agrícolas transformaram-se em casas nobres, com capela adossada/integrada, ou destacada, à esquerda ou à direita, escadaria monumental com amplo terreiro e pedra de armas, ora no frontão, ora no torreão, e com portões adossados a colunas de cantaria e muros de silharia, que permitem o acesso a alamedas em terra batida ou não, alamedas que nos levam às suas fachadas principais.

Os modelos construtivos foram, porventura, muitas vezes, regionais, como são, por exemplo, os da casa da Lama e da casa de Rosende (Paços de Ferreira), da casa da Tapada e do antigo palacete do Calvário (Penafiel), hoje biblioteca municipal.

E ao pai sucedia o filho mais velho na administração da casa e até na herança de outros cargos públicos, como sargento ou capitão-mor e capitão de ordenanças.632

Num terceiro, e último momento, confirmámos que também naquelas paragens, a pedra de armas e a capela eram elementos que perpetuavam e conferiam prestígio aos seus proprietários; tal como a torre - elemento que, aliás, sublinha a representação do proprietário da casa, elevando-o, por inerência, em capital simbólico, mais que não fosse, na área do perímetro concelhio e limítrofes.

 

________________________________

 

628 - MARTINEZ - BARRETO, Carlos - Torre, pazos y linajes de la província de la Coruña. Leon: Editorial Everest [1986], p.10, Cit. por FAUVRELLE, Natália - o. c., p. 77.

629 - MARTINEZ - BARRETO, Carlos - o. c., p. 11. Cit. por FAUVRELLE, Natália - o. c., p. 77.

630 - QUINTÃO, José César Vasconcelos - o. c., p. 57.

631 - ALCOFORADO, Diogo - o. c.,  p. 8.       

632 - MAGALHÃES, Joaquim da Cunha - o. c., p.18. Cf. “Os cargos que ocupam na estrutura social fazem deles os principais baluartes da sociedade, ou pela craveira intelectual ou pela económica, ora pela titularidade nobre, militar ou religiosa.” ROCHA, Manuel Joaquim Moreira da - Espaços de culto público e privado nas margens do Douro. “Poligrafia”. Nº 5 (1996), p. 57.

 



publicado por José Carlos Silva às 15:23 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Despedidas

Eleição e abdicação

Cruzeiros de S. Miguel

Memória Paroquial de Vila...

Caminhada à descoberta do...

Lousada e os seus cruzeir...

Capela de S. Cristóvão (S...

Capela de N. Srª de Apare...

Capelas Públicas de Lousa...

Bibliografia

arquivos

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

1791

1895

abdicação

alentém

auto de patrimonio

auto_de_património

caíde

camara

caminhada

caminho-_de_ferro

capela da casa de valmesio

capela de cam

capela de valmesio

capelas

capelas_públicas

capela_cam

capela_da_lama

capela_de_s. cristóvão

capela_de_stº andré

capela_srª_aparecida

capitão_mor

carta

casa

casa de real

casa-do_porto

casa_cáscere

casa_da_bouça

casa_da_lama

cazla_do_cáscere

comarca

consulta

contrato de obra

cristelos

cruzeiros

cruzeiros de covas

cruzeiros_de-casais

cruzeiros_de_cernadelo

cruzeiros_de_cristelos

cruzeiros_de_figueiras

cruzeiros_de_lodares

cruzeiros_de_stª_margarida

cruzeiro_de_pereiras

d. pinho brandão

deputado

despedidas

dia_internacional_monumentos_sítios

doação_para_património

doação_para_patrimonio

dote

eleição

escritura_legado

jose teixeira da mota

lindo

lodares

lousada

lúcia_rosa

meinedo

memória_paroquial

moinho

moinhos

nespereira

nevogilde

nogueira

nome

novelas

ordem

paroquial

patrimonio

património

património_rural-paisagístico

penafiel

plano_de_ seminário

ponte_nova

prazo

preservar

princípio_de_instituição

processo

quaresma

quintã

restauro

rota_do_românico

s. miguel

santa ana

secretario

sermões

soares_de_moura

sousela

tapada

vale_do_sousa

vilar-do_torno

vinculo

todas as tags

links

visitante
subscrever feeds